• Abu | Mack
  • Fé que pensa, razão que crê.
  • Abu|Mack

Urbano ao vivo!

Encerramento Semestre



Isso aee povo! Quarta (23/11) será nossa ultima reunião de 2011, por causa das provas finais.
Mas calma que dia 9/12 (sexta-feira) já vai ter acabado as pfs e vamos todos nos encontrar pra nos despedirmos e comemorarmos o fim do semestre! \o/

Vai rolar alguma coisa diferente dia 23?
Siim! Além de ser uma pré-despedida, vamos orar muuuito pelas provas finais :P e quem puder, lembrem de levar comidinhas e bebidinhas que dê pra compartilhar com todo mundo. =)

E dia 09, o que vamos fazer?
Vamos agradecer a Deus pelo ótimo semestre e agradecer por Ele continuar sendo bom, msm com as DPs ou sem DPs. ;)
Vamos fazer amigo secreto! =D
Cada um leva um presente que dê pra deixar tanto menininhos quanto menininhas felizes.
Aí na hora a gente sorteia.
E acho que rola levarmos comidinhas e bebidinhas tbm heein?
Vamo lá poovo, todo mundo colaborando! Vamo fazer piquenique na capela! ;P

É isso gente, a gente se encontra lá! =)
Beeijos #tamojunto
#s2

Videos da ABU|Pray 5

Encerrando com uma música que é especial para nós, consideramos como a música oficial da ABU|Mack. 


Rolou também Palavrantiga, confira:


Campanha #OpsEsqueci

Geeente, gente!
Quem tava no ABU|Pray sensacional levanta a mão! o/
E quem lembra do que eu falei de esquecermos presentinhos pelo Mack?

Entãão, vamos fazer isso na próxima quinta (10/11) pra nos organizarmos melhor, okay?
Vão ajuntando aí coisinhas legais pra espalharmos pelo Mackenzie e deixar várias pessoas felizes! *-*

ATENÇÃO povo!

Óh, o plano é espalharmos os presentinhos pelo campus na quinta a noite, dp da aula, qnd o mack ja estiver vazio... pra ninguém ver.

Então, quem puder estar lá quinta a noite pra ajudar, esteja.

Quem não puder, traga seu presentinho com uma cartinha na quarta, na ABU, que aí a gente junta tudo e espalha pelo campus no dia seguinte.

Todo mundo entendeu? Alguma dúvida?

Ps: Quem quiser, já pode ir esquecendo coisinhas pelo Mack, rs. A idéia de quinta é só pra deixarmos váários ao mesmo tempo. ;)

É isso! Beijos, #tamojunto

Dadá.

Informações AcampABU|Mack 3.0


*É importante que você leia até o fim!


Local

Acampamento Mackenzie Cabuçu


Ida e Volta

O check-in no Acampamento Cabuçu será possível apenas a partir das 22h no 09/Setembro. E o check-out até as 18h do dia 11/Setembro. Segue as opções de transporte:

Ônibus Fretado [incluso no valor da inscrição]:

Ida: 9/9

Encontro 22h30 > Capela Mackenzie

Saída 23h > Em frente ao Auditório Ruy Barbosa [EM PONTO!]

Volta: 11/9 - 18h

PS.: Se no ato da inscrição você optou pelo ônibus fretado, seu nome automaticamente estará na lista no ônibus, caso desista e resolva ir com outro meio de transporte, favor entrar em contato via email: abumackenzie@gmail.com nos informando, para que possamos liberar sua vaga à outro acampante.

Carro:

Só será permitida a entrada/saída de carros que nos enviarem até o dia 05 de setembro > Placa | Modelo | Cor | Nomes dos que estarão no veículo. Favor solicitar o mapa do local via email:abumackenzie@gmail.com

Ônibus Circular:

Há um ônibus intermunicipal que passa na rua de baixo do acampamento e deixa em São Paulo - Estação Tucuruvi :)


Estação Tucuruvi > Cabuçu - ônibus: Jardim Acácio
[Quando vc avistar um muro de pedra ao lado esquerdo já avisa o motorista, porque você descerá no próximo ponto]
Ligue para nós para que possamos ir buscar você ok?

Cabuçu > Estação Tucuruvi - ônibus: Tucuruvi


O que levar?

- Roupa de Cama
- Roupa de Banho
- Roupa para sujar
- Roupas para o jantar característico:
Sábado: Circo
- Produtos de Higiene Pessoal
- Caneca
- Repelente
- Lanterna
- Dinheiro para cantina


Contato Telefônico

Kézia (11) 81768804 TIM
Marcelo (11) 92420596 TIM
Guilherme (11) 68838845 Oi
Maria Carolina (11) 76497603 Claro

Responsáveis pelo ônibus fretado:
Damáris (11)67056010 Oi
André (11)73040208 VIVO

Dúvidas e + Informações

Escreva para abumackenzie@gmail.com


Abraço,

Liderança ABU|Mack SP

O valor de estar com os amigos

Eu acabei de conversar com uma moça da Alemanha sobre seus filhos que estão na faculdade, enquanto meu amigo libanês esperava para falar comigo. Os dois trabalham aqui no café onde estou escrevendo esse texto. Um pouco antes disso, conversei com alguns conhecidos da Coréia do Sul, donos de uma empresa de camisetas no centro da cidade. Os negócios não estão indo muito bem ultimamente, mas eles sorriem e conversam comigo sempre que estou por lá.
Eu conheci, nessa manhã, outra coreana que trabalha aqui no café. Foi nossa primeira conversa, apesar de já termos nos cumprimentado uma vez ou outra. Ela está aqui no país há cinco meses e, pra minha surpresa, é professora da Escola Dominical da igreja coreana da cidade.

Isso não é tudo. Ainda mais cedo hoje, encontrei com meu dentista para um aconselhamento aqui mesmo onde estou. E antes disso, tive uma excelente conversa com um engenheiro civil de Parkville, a pequena cidade na região metropolitana de Kansas City onde eu tenho meu escritório. Encontrei com outro amigo e discutimos um pouco sobre assuntos de espiritualidade um pouco antes disso. Ele é gerente da loja de livros cristãos. Dei um curto ‘alô’ com a minha esposa quando ela passou um pouco depois. E ainda tive a chance de cumprimentar outro amigo que também costuma freqüentar esse café. É o massagista da cidade.
Construir relacionamentos – esse é o valor de estar com os amigos. Estou fazendo um esforço para alcançar isso, e eu recomendo a você que faça o mesmo. Não é simplesmente estar com as pessoas de qualquer forma, claro, mas existe um tipo de tempo que você passa com seus amigos, com propósitos, que agrada a Deus, a meu ver.

Não tem muito tempo que eu escrevi em meu caderno de anotações, onde eu guardo observações a respeito do que eu leio e penso: “é uma questão interessante: o que Jesus faria em uma semana qualquer?”
Essa simples questão foi respondida após ler o livro de Mateus. Escrevi 14 páginas de observações a respeito da vida cotidiana de Cristo, especialmente, sobre como ele gastava seu tempo. Cheguei à conclusão que, basicamente, o que Jesus fazia era estar com os amigos. Claro, era uma forma “divina” de estar com os amigos.
Cristo constantemente estava em algum lugar de uma pequena área, especialmente ao redor de Cafarnaum, onde ele considerava sua cidade, e em Betânia, onde moravam Lázaro, Maria e Marta, um lugar muito legal ao sul de Jerusalém. Ele nunca ‘cumpriu horário’ ou teve um escritório. Ele sempre comia fora. E não parece que ele tenha participado de alguma reunião organizacional. Ele passava muito tempo com seus seguidores, jantou com “pecadores”, respondeu muitas perguntas, ensinou quando havia multidões ou um pequeno grupo por perto, tirava algum tempo especial para orar, se afastar, e manter o foco, fez uso das sinagogas para levantar questões, curou, e realizou milagres. Parece que a maior parte do seu tempo foi usada apenas para estar em meio às pessoas, e nesse contexto, ele fez o que foi enviado para fazer. Paulo, obviamente, agia de forma muito parecida.

Agora, nós temos que ir ao trabalho. E ele, em si mesmo, é um campo missionário. E eu não pretendo dizer que você não deva trabalhar nem encarar seu trabalho como tal. Mas, por algum motivo, nós nos esquecemos o quão importante é estar no meio das pessoas de uma forma que surjam conversas relaxantes e amigáveis, ou até algumas intensas e filosóficas. Como o fogo que nasce de uma fagulha em palha seca, Deus pode, e vai, fazer coisas através de nós, poderosamente, quando estamos “no contexto” daqueles que mais queremos que sejam impactados por nossa mensagem. Nós precisamos ter lugares informais para encontrar pessoas. Os frutos disso são bons demais para serem relevados.

Se Deus plantou seu amor e o fruto de seu espírito em você, essa obra maravilhosa de Deus é imensamente desperdiçada se nos mantivermos afastados das pessoas. Quando um homem ou uma mulher está cheio do caráter divino, isso deve ser demonstrado, ou você estará “escondendo a luz debaixo de uma vasilha” (Mateus 5.15). Se alguém está em Cristo (e você está), então deixem que observem isso no contexto apropriado. “Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus.” (Mateus 5.16)
A idéia é a seguinte:
  1. Encontre um lugar perto de onde vive, ou mais de um, para passar um tempo. Isso é mais fácil para alguns. Eu sempre ficava um tempo na lanchonete local. Para muitos, isso vai ter que ocorrer cedo de manhã, antes do trabalho, mas outros conseguiram investir um pouco mais de tempo. Durante a manhã é quando normalmente aparecem os ‘de sempre’, que são os mais fáceis de criar algum laço.
  2. Aprenda o nome das pessoas que você conhece. É bom até anotar esses nomes em algum lugar para não esquecer.
  3. Leve sua Bíblia e passe algum tempo lendo-a, anotando observações eu seu caderno, ou lendo algum bom livro cristão.
  4. Mantenha sempre um ar amigável. Converse com as pessoas. Se apresente, e descubra mais sobre os outros. Mantenha o foco da conversa neles. Eles também vão querer saber de você.
  5. Busque chegar ao nível das conversas filosóficas. Em que esses seus amigos acreditam a respeito de questões importantes como vida e morte? Isso ajudar a aprofundar relacionamentos.
  6. Você vai perceber que eles também ficaram curiosos sobre o que você acredita. Fale abertamente sobre suas crenças e o que você pensa da vida.
  7. Faça amizades, reais, que serão importantes para você não importa qual sejam suas preferências espirituais. Ame-os.
  8. Se você ler alguma coisa interessante que seja legal para mostrar, faça isso, especialmente se tem alguma coisa a ver com o verdadeiro amor de sua vida, Jesus Cristo.
  9. Deixe Deus trabalhar. Cristãos fazem a diferença! Você pode ajudar um amigo cristão ou uma pessoa que não tenha uma pontinha sequer de espiritualidade. Você nunca sabe o que Deus pode estar fazendo. O mundo reage e responde a cristãos “iluminados”.
Se você tivesse apenas três anos para impactar o mundo, o que você faria? Jesus passou seus três anos em constante movimento, estando com as pessoas o máximo de tempo possível, e se afastando sempre que necessário para orar e meditar. Ele deu atenção especial aos discípulos, mas, de qualquer forma, Jesus estava aqui pelas pessoas.

Eu imagino que minha proposta por ser mal entendida em um mundo que considera muito a produção. Muitos medem sua importância pelo quão ocupados eles aparentam ser. Bom, eu tenho muito que fazer, e minha esposa algumas vezes me acusa de ser viciado no trabalho, mas tenho visto as coisas de outra forma ultimamente. Eu quero ser mais parecido com Cristo, que sentia que era de suma importância estar com as pessoas sempre que possível.

E, veja bem, eu escrevi esse artigo enquanto estava fazendo exatamente isso!

Jim Elliff é membro fundador e presidente da Christian Communicators Worldwide (CCW).

Traduzido por Filipe Schulz | iPródigo
Carta á amiga: O seu desafio é tornar o Cristianismo relevante em nossos dias.

Esta é uma carta que escrevi para uma amiga, com a finalidade de ajudá-la á perceber como sua fé deve estar ligada a sua atuação na sociedade. Resolvi postar e espero que possa ajudar alguém.



Nosso maior desafio hoje não é chegar num amigo da faculdade e dizer que Jesus morreu na cruz. Isso, provavelmente, todos nos centros urbanos já ouviram falar. Nosso maior desafio é fazer com que isso tenha significado, e deixe de ser só um jargão evangélico, tornando o cristianismo relevante em nossos dias. Isso fará com que o cristianismo deixe de ser algo do passado, ou algo místico e passe a ser transformador, pois deixará de tratar simplesmente de algo que mais parece uma história de infância, e que é compreendida de maneira significativa.
Nós temos papel essencial nessa relevância, pois somos cristãos e universitários, aqueles que atuarão, ou pelo menos devíamos atuar, na sociedade de maneira verdadeira. Não como um papel coadjuvante, mas os atuantes principais nela, pois somos: Advogados – que podem fazer leis justas, Psicólogos – que podem entender a mente humana (pelo menos de certa forma), Publicitários – que podem comunicar e formar opiniões, Designers, Arquitetos, Engenheiros, etc.
A fragmentação do cristão é a pior coisa que pode acontecer, mas o que acontece? Respondo a seguir:
O cristianismo tem se mostrado a cosmovisão que mais beneficia a sociedade. Os países da Europa, da América do Sul, são provas reais disso. É impressionante quando lemos sobre a história de Calvino ao entender a salvação pela fé, e todos os outros ensinos seguintes que formou a teologia não só desde a reforma, mas desde a época de Cristo, e como foi relevante para a esfera pública. Vemos universidades surgindo e miseráveis saindo das ruas para trabalhar e que não queriam sair das ruas e não gostavam de trabalhar eram levados para as cadeias. Pois o cristianismo deixa de ser só mais uma religião, com pessoas boas que querem viver bem. A fé verdadeira faz com que você entenda o que é a sociedade, o que é a justiça, o que é amor. Um exemplo: Conversando com um amigo economista ele me falou de como a economia na Europa ficou diferente depois da reforma e como um teórico falava da relevância dos protestantes nessa área. Meu amigo falou o seguinte: “Fiquei pensando, eles não podem ter a economia tão boa por causa dos reformados, só porque eles davam o dízimo?” Já imaginou se fosse realmente só por causa do dízimo? Ou o Brasil teria a maior economia mundial, ou Deus na estaria cumprindo sua promessa de que multiplicaria, já que as igrejas hoje parecem comércios e pessoas vendem tudo para dar á deus. A questão se resume na fé verdadeira e não simplesmente no dinheiro que os reformados davam, eles compreenderam o que era fé na Verdade. Dizimar nunca está separado de fé, por isso a relevância do cristianismo não pode estar separada da fé cristã, ou seremos só mais um grupo de religiosos, tentando mudar o mundo.
Somos cristãos e somos universitários, mas essas áreas não se conversam. O porquê desse acontecimento está estreitamente ligado a nossa fé. Fomos criados nas igrejas não aprendendo sobre a salvação pela fé, pode ser que de maneira verbal, sim, mas não de maneira significativa. Por isso, achamos que não nos misturamos com certos tipos de pessoas e começamos a lutar não contra teorias ou pensamentos errados que seríamos confrontados na universidade, ou nem nos confronta tanto assim, pois, por exemplo, nem todas teorias de Freud, que tanto tememos desde a infância é realmente mentira, ate mesmo algumas de suas teorias vem confirmar a fé cristã. Mas nem compreendemos essa fé e começamos lutar contra sangue e carne, pessoas. Isso faz com que ao invés do nosso curso ser nossa maior área de atuação, somos só mais um bando de evangélicos manipulados que não nos importamos com tudo que é contrário a nossa fé, pois não compreendemos a fé, mas somos preconceituosos, discriminadores e alienados. Discriminadores e preconceituosos, pois não conseguimos olhar para um homossexual com o mesmo olhar que olharíamos para o irmão mentiroso que está assentado ao lado no banco da igreja. E alienados, porque não deixamos as tradições vazias de significados, para viver a fé que olha o coração e está interessada no significado, na Verdade.
Parece que usamos máscaras, na igreja somos assim, com os amigos da igreja conversamos assim, agora, com os amigos da faculdade conversamos de outro modo. Você não se cansou de todos os dias ficar trocando de máscara? Eu me cansei, minha fé não está separada da minha vida pública, minha fé pensa. Por isso, se nosso maior desafio é tornar nossa fé relevante hoje, precisamos entender que fé é essa. Pois, também, de nada valeria compreender que a fé não é pelas obras, logo já não existe diferenças, e não compreender todas as outras verdades que estão estritamente ligadas á essa primeira.
Precisamos antes de tudo de teologia (pois ela, por exemplo, nos ensinará a verdade sobre o homem – antropologia), mas naturalmente precisamos de filosofia, precisamos de sociologia, precisamos de economia, precisamos de psicologia, precisamos de administração, precisamos de direito, de engenharia, de química, física, história, pois a fé se relaciona com todas essas áreas, você não pode entender e crer NAquele que é Tudo, se descartarmos alguma área, pois Ele já não seria tudo, mas somente alguma parte. A natureza já não seria de Deus, nem algo que aponta para Deus, mas dos cientistas para apontar sua não existência.
Atuar em sua área é descobrir que ela é algo que conversa perfeitamente com sua fé. E o seu maior desafio pessoal é descobrir como seu curso será relevante para a sua fé cristã. Mas, para isso você precisa primeiro entender o significado de tudo que tem ouvido falar á respeito de Cristo, para que isso tenha significado, seja compreensível, tenha conhecimento, tenha fé na verdade, e não seja só mais um monte de informações não decodificadas por você. O que eu fiz agora foi nada mais que usar a semiótica, muito estudada em Ciência da comunicação – como você sabe estou me formando em publicidade -, para dizer que a fé deve ser pensante. E é a fé pensante que vai te fazer descobrir como estipular leis justas no Brasil, como se relacionar com os homossexuais -, que de acordo com a nossa fé são como nós – como tratar dessa causa tão atual que envolve praticamente todos o cursos de uma universidade (psicólogos, sociólogos, advogados, etc.), qual nosso papel dentre tantas doenças de transtornos alimentares que envolve (publicidade, jornalismo, medicina, farmácia, psicologia). Eu poderia sonhar um área de atuação para você e para outras pessoas com de cursos diferentes e nem coisas tão relacionadas a área de humanas assim. Por exemplo, se lermos sobre Husser vamos descobrir como um matemático acabou entrando na área de psicologia e filosofia, e comprovarmos como todas ciências se conversam quando tratamos de fé. É a fé na Verdade vai te fazer descobrir que esta é a cosmovisão, o Cristianismo, mais capaz de atuar de modo verdadeiro, logicamente, na sociedade.

Fim de semestre 2011

Show do Oficina G3


Parque Ibirapuera

Semana de Reflexão Teológica - ABU SP


Galera!!!

Em JULHO vai rolar a Semana de Reflexão Teológica da ABU SP!

Data: 04 a 08 de Julho
Horário: 19h30
Local: Igreja Metodista Livre da Saude [IMEL Saude]
R. Veriano Pereira, 52 (próximo ao metrô Saude)

Estarão conosco:

Palestrantes: Gedeon Alencar, Ariovaldo Ramos
Mesa Mobilização de Recursos: Bruno Barreto, Braulio Craveiro
Mesa Comunicação: Giovanna Amaral, Gustavo da Hora
Mesa Missão Integral: Caio Marçal (FALE), Raquel Arouca (A Rocha Brasil)
Mesa "A gnt fazendo missão": David Kurka, Kézia Brasil

entre outros...

Você não pode perder!!!

Valor:

Para os 5 dias:
Profissionais: R$30
Estudantes: R$15

Somente um dia:
Profissionais: R$10
Estudantes: R$5

Obs.: Inscrição e pagamento feitos na hora.

Contamos com vcs!!!

Abraço,

Tribos da ABU


Rodrigo Maia | Visite também  Mundo dos Alpiqueiros
É comum encontrarmos no movimento, cada figura de Jesus ou sem Jesus, que até deixa a gente de cabelo em pé.
Incomoda, mas aprendemos a lidar.

O mais difícil é aceitar aquilo que um pode fazer e outro não.
“Sua igreja é assim? Na minha é outro esquema...”
E aí vamos nos conhecendo.
Sou um cristão reformado e entendo que na ABU existem outros tipos cristãos. As vezes temos orgulho de defender nossa linha.

Mas temos de tomar muito cuidado, porque pode parecer que estou fazendo descaso da outra doutrina. Pior! Pode parecer que estou pecando.

É muito chato quando vem abeuense querendo discutir diferenças, usos e costumes.
Pode ser que seja relevante, mas na maioria das vezes é tudo bobeira que no final não acrescenta em nada.

Quase que é comum vermos abeuenses de vestimentas características, como: saia, paletó, brinco, piercing, tatoo, cabelão e barba em homens ( em meninas tbm as vezes...huahua :X ), mini saia ou “pra quê saia?” (como diz o Macarrão). Abeuenses que comem disso ou aquilo, bebem certas bebidas ou não bebem. Alguns guardam a sexta, o sábado ou domingo. É quase normal que não concordemos com um desses pontos.

O pior é quando um abeunse quer provar que não tem nada a ver, que a Bíblia hermeneuticamente, homileticamente, exegesicamente falando, não condena tal coisa.

A questão não é se é pecado.
Acima de todo discurso deve estar o amor.
E fique de olho para que você não seja um tropeço ambulante para os pequeninos. Se você for líder então, tome o cuidado em dobro, pois você será cobrado de Deus, mais do que os outros.

Bom, se sei que não tem nada a ver tal coisa na minha linha teológica, tenho que ter no mínimo o bom senso de não ser motivo de pano pra manga para aqueles que não pensam como eu.

Claro que a outra pessoa irá condená-lo e julgá-lo como pecador. Os dois aí estão errados. A aposta não deveria ser de quem é menos, mas sim de quem é mais pecador.

Algo importante é que não quero passar a idéia de relatividade, como se nós abeuenses fôssemos liberais, não! Só tome nota de que você encontrará no movimento ABU humanos pecadores e imperfeitos. Vou sair de lá por isso? Não!

Precisamos de muitos servos de Deus para discipular esses pequeninos fora dos encontros da ABU , aí sim entra a necessidade de um movimento mais sólido chamado igreja.
Leve esse pequenino à uma igreja que é firme na palavra e que a estude de fato e não se baseie em emoções ou experiências com achômetros.
Mais uma vez, cuidado com o seu exemplo, mesmo que para sua doutrina não seja pecado.

8 coisas que aprendi no movimento ABU (Aliança Bíblica Universitária)


Rodrigo Maia | Visite também  Mundo dos Alpiqueiros

Gostaria de compartilhar como foi e como está sendo essa minha aventura na ABU.
Antes de tudo, é importante lembrar que a ABU sempre confronta e critica a nossa forma de crer, então escrevo como um abeuense filho de pastor presbiteriano.

O que aprendi no movimento é:
1. Ser crente sem ser “crentês”.
2. Deus me enviou à universidade.
3. Gastar tempo com pessoas.
4. ABU não é igreja.
5. Todas as denominações podem conviver juntas.
6. O mundo secular é espiritual
7. Estar na ABU não te faz melhor.
8. Viver a vontade de Deus.


1. Ser crente sem ser crentês

Quando fui à primeira vez na ABU, achei estranho e ao mesmo tempo legal a forma simples de apresentar a palavra de Deus. Comecei a ser, de certa forma, impactado em como Deus falava através de músicas, poesias, quadrinhos e filosofias seculares (também).

No começo não sabia se estava certo. Eu era um bixo e minha fé estava sendo confrontada. Optei pelo menos ‘pior’, ou era confrontado pelos meus professores e faculdade, ou pela ABU. Escolhi a ABU, mesmo não sendo freqüente nela.

2. Deus me enviou à universidade

Logo encontrei uma igreja pra freqüentar, me envolvi a ponto de quase pedir minha carta de transferência pro meu pai (que é o pastor da minha igreja..rs), mas ele conversou comigo e contou como ele fazia na época que estudava fora de sua cidade. Dizia para aproveitar essa época e conhecer igrejas cristãs protestantes diferentes, afinal eu saí do interior e fui pra uma metrópole véio, na minha cidade não tem tanta variedade de igrejas assim, até tem, mas só muda o nome (rs). Ele me dizia para priorizar a universidade, mas que a igreja também era importante sim, mas pra eu tomar cuidado para não entrar em milhões de ministérios na igreja e perder essa oportunidade que Deus estava me dando.

Não concordava com a idéia de priorizar o estudo antes da igreja no começo. Eu queria estar disposto a sacrificar meu estudo pra estar na igreja. Tinha me esquecido que Deus não iria me amar mais pelo que faço ou sacrifico.

Mas aconteceu outra coisa, o pessoal da igreja que eu ia eram missionários abeuenses, aos poucos me influenciaram com essa idéia de missão universitária e afins.

Um outro detalhe, é que vim de uma Igreja Presbiteriana não muito tradicional, e na minha região parecia que o foco da maioria das igrejas era adoração e experiências com Deus. Não que a liderança tinha esse foco, mas parecia que os membros se preocupavam só com isso.

Achava muito fraquinha a adoração das igrejas de minha denominação aqui onde comecei a estudar, pois as pessoas não choravam na hora do louvor, nem levantavam muito as mãos.
Mas aí Deus, por meio do movimentoABU começou a confrontar minha maneira de pensar. Pq chorar? Pq ter essas ‘experiências’ de calafrios e emoções? E as vidas sendo perdidas?
Eu achava que se algum não cristão viesse numa igreja e sentisse o mover de Deus, eu não precisava fazer muita coisa, pq só deles verem a galera chorando e orando, talvez eles se converteriam ao sentir esses calafiros tbm.

É, eu e minha ignorância na Palavra. rs

3. Gastar tempo com pessoas

Bom, depois de pegar muitas DPs eu comecei a pensar no porquê eu estava numa universidade. Na ABU comecei a ser a confrontado por Deus a começar a gastar tempo com meus colegas de universidade, mesmo que isso significasse ir a uma festa de aniversário de um deles.
Eu: “o quê?”
“Mas é pecado!” Fui e ainda sou confrontado a perceber que lugares não têm pecados, pessoas tem.
Eu não sou menos pecador que meu colega de faculdade, somos iguais.
Acreditem, fico triste, mas ao mesmo tempo fico alegre quando um colega me vê como um pecador. Pq aí não estou demonstrando que sou superior a ele, mas que sou um servo de Deus que reconhece o quanto preciso Dele e o quanto preciso ler sua palavra.
E é essa palavra que me mostra cada vez mais que não posso ser como Deus, pois sou um pecador imundo. Embora Jesus seja um perfeito modelo humano para seguirmos, mesmo assim, não conseguimos chegar muito perto. Foi aí que comecei a entender o que meu pai dizia: “...cuidado pra não perder a oportunidade que Deus te deu.”

4. ABU não é igreja

Lembro do Aefe, que era o líder da ABU na época, me perguntar se eu queria falar nas reuniões da ABU. Só sei que eu o enrolei um ano quase... rs.
Até depois dessas DPs, comecei a me focar um pouco mais na universidade, infelizmente a igreja nem sempre estava por dentro do que acontecia lá e quase não tinha condições de auxiliar, ou acompanhar o contexto universitário de um jovem cristão ou não cristão confrontado.

Daí vc me diz: “Então a ABU é sua igreja?”
Não e sim.
“hã?”

É minha igreja pq eu encaro qualquer momento em que estou com pessoas de mesma fé adorando a Deus, servindo e lendo sua palavra, como igreja.

Mas o outro lado que custei muuuuuito pra entender:
ABU não é igreja.
Poxa e agora? Como assim? Pior que eu percebia nas entrelinhas de que a ABU não é a minha igreja local.

Como assim? Bom, não vou esconder, vou mostrar coisas que talvez vc que está na ABU não reparou ainda.
Na igreja local temos costumes, ou seja, cada uma tem um jeito de vestir, pensar, ser devoto a Deus, buscar santidade e várias coisas do gênero.
Na ABU, a forma de pensar é a mais complicada, pois não podemos puxar sardinha para a teologia do livre arbítrio e da predestinação (e outras que vão surgindo). Se vc reparar em nossas reuniões, quando alguém toca em um assunto do tipo, nós nem relevamos e sim tentamos trazer de volta ao foco.

5. Todas as denominações podem conviver

Mano, foi muito estranho pra mim descobrir que existem cristãos que acreditam em doutrinas diferentes. Mas percebi que era bobeira discutir isso, o importante era espalhar a boa notícia de Jesus Cristo.

Nessa de espalhar Jesus Cristo, comecei a perceber que a ABU não era para crentes do cristianismo, mas sim para descrentes dele, Jesus. E é muito bonito ver cristãos de outras linhas de pensamentos e denominações se unindo por essa causa, sem importar de qual igreja vc veio.
O crente às vezes chega na ABU um pouco arrogante, querendo mostrar seus argumentos para ganhar na discussão e chamar a atenção das pessoas para que elas vejam o quanto ele sabe e o quanto é espiritual. Ele custa a entender o que realmente estamos fazendo ali, talvez fosse melhor se ele colaborasse centrando seus argumentos nas boas novas.

6. O mundo secular é espiritual

Depois que entendi isso, fui confrontado de que o mundo secular é espiritual também.
“Hã? Cuma? Não, agora paro de ler aqui! Aff..esse povo perdido e pecador.”

Tudo bem, se vc e seu modo de pensar é perfeito, então você não precisa de igreja, afinal a igreja é um hospital para pecadores e não um museu de santos, como diz o ditado.

Cara, me incomodava ver gente cantando certas músicas, vendo certos filmes, furando e pintando o corpo e outras coisas. Eu era muito legalista e custei pra perceber que “a mãe da rigidez é a insegurança”, como dizia um cara aí.

Mas comecei a perceber como tinha coisas boas que Deus inspirou o homem pecador a fazer. Vi músicas muito mais bonitas do que aquelas ditas como “feitas para Deus”, com certeza vi poesias e filmes “condenáveis” que embora não tinham boas respostas, mas traziam boas perguntas, como Tim Keller analisou no seu livro “A fé na era do ceticismo”.

7. Estar na ABU não te faz melhor

Outro ponto que me confrontou é o fato de que não sou perfeito e não sou melhor do que o cara que fica na igreja e mais nada. Só pq sou um evangelista, missionário e entendo que igreja não salva ninguém, não me torna mais sábio e menos pecador também. Somos um corpo e todos têm sua função, um complementa o outro.

8. Viver a vontade de Deus

Descobri a vontade de Deus sem saber. Eu me vi na universidade e vi a ABU, depois vi mais 4 anos, então o que eu poderia fazer com isso que me foi dado?

Eu quis aproveitar meus anos na universidade intensamente com esse movimento universitário, pq depois disso, viria minha vida adulta cheio de compromissos, cuidado com a família e com o trabalho chegando, e nunca mais teria essa fase de novo na minha vida. Imagina o remorso que iria sentir sabendo que eu poderia ter vivido intensamente a ABU nesses 4 anos e não vivi. Ficaria muito triste.

Mas Rodrigo, vc vai sair da faculdade e consequentemente da ABU, não é? E seu propósito de vida?

Eu não sei véio... só sei que o que me foi dado agora foi isso. Quando sair da ABU eu vou analisar o que tenho e o que estou começando a fazer pra saber o que Deus quer que eu faça. Talvez vc não consiga descobrir desse jeito, pq Deus não trabalha como num processo industrial. A gente acha que a salvação e o propósito de Deus são feitos em escala, ou seja, acontece igual com todo mundo. Mas na verdade é tudo personalizado, como dizia o brother antigo líder da ABU Jônatas, vulgo Mala.

Concluindo

Última coisa que queria compartilhar é que não acho que fomos unidos na ABU Mackenzie a toa, creio fortemente que Deus nos uniu para algo. Pra juntos sermos um instrumento Dele e ir além da ABU e do Mackenzie, sem sombra de dúvidas.

Bom, espero que este texto seja útil para quem está chegando e quem está saindo da ABU. Mesmo pra quem está saindo, saiba que vc sempre será parte do Movimento ABU.
E lembre-se: Se vc não criticar a sua fé, vc não crescerá, muito menos entenderá o pq de acreditar no que acredita e não saberá o pq das coisas cristãs serem como são.

#TamuJunto
#MovimentoABU

Se cuidem, abraços.

CF - Curso de Férias ABU SP|MS



Olá ABUenses!!!

Na última semana de Julho, vai acontecer o CF - Curso de Férias da ABU SP/MS em Bauru/SP.


As vagas são limitadas [70 vagas], então não perca tempo! Faça sua inscrição: contatos.abub.org.br/eventos/inscricao_evento.php?id=90


No link com mais informações, vc verá que para ir ao CF, é necessário ler 3 livros e fazer resenhas. Fique atento a isso! Todos os livros são da ABU Editora e podemos conseguir um descontinho aí, se pedirmos pra um grupo. Procurem a Kézia [keziawb@gmail.com].

PAGAMENTO:
As inscrições só serão efetivadas após pagamento de pelo menos 50 reais.
Enviar o comprovante por email para cursodeferias-abu-spms@googlegroups.com (ou o número do comprovante de depósito, valor, data e horário em que foi efetuado)


Conta para pagamento: Banco Santander
Agencia: 3851
Conta Corrente: 01072888-9
Camila de Paula Xavier de Santana




Quaisquer dúvidas, estamos a disposição!

Abraço,

ABU|Mackenzie no I CR 2011 - São Carlos/SP



Aconteceu nos dias 14 e 15 de Maio de 2011 em São Carlos/SP o 1º Conselho Regional de 2011 da Região São Paulo|Mato Grosso do Sul.

Para quem não sabe, o Conselho Regional acontece duas vezes ao ano, para discussões administrativas dos grupos locais da região.

O encontro contou com cerca de 140 universitários de diversas universidades de ambos os estados, como por exemplo, universidades de Marília, Assis, Bauru, Dourados, São Paulo, Botucatu, Ribeirão Preto, São Carlos, Campinas, etc...

ABU|Mackenzie [SP|Tamboré] estava representada pelos estudantes: Kézia W. Brasil, Guilherme Dutra, Rafael Leoncio e Geovane Toledo.

A programação se baseou em exposições bíblicas nos períodos das manhãs, discussões de comissões de eventos, financeira, etc...; plenária para eleição da nova diretoria regional no período da tarde de sábado; e leitura de relatórios dos grupos locais de ABU da região no sábado a noite e domingo de manhã.

O Grupo Local de São Paulo apresentou seu relatório no sábado a noite, foi exposto pelo presidente do Grupo Base SP, Paulo Vargas, o qual também foi eleito para a nova diretoria regional. E Kézia W. Brasil, representante do núcleo ABU|Mackenzie apresentou também um breve relatório sobre as atividades que o núcleo ABU|Mackenzie, que a partir de 2010 conta com dois grupos, sendo um em São Paulo e outro no Tamboré, tem realizado na universidade.

Embora seja um encontro onde as questões discutidas são mais burocráticas, foi um tempo muito bom para conhecer pessoas novas; conhecer outros grupos de ABU; trocar experiências; rever velhos amigos; pensar em áreas que seu grupo pode ajudar a outros grupos e em quais áreas seu grupo precisa ser ajudado; e para alguns, foi mais um embalo para a realização de novos sonhos pra missão estudantil, ou seja, pra obra de Deus no meio universitário.


“No meio desse ‘alguns’ na última linha do parágrafo a cima, eu me incluo. Foi meu primeiro CR, embora esteja a frente da ABU|Mackenzie a 3 anos de meio, e foi ótimo passar por essa experiência, conhecer pessoas novas, rever amigos de outros núcleos de ABU, servi-los, ter conhecimento sobre o que rola nos outros grupos, do que Deus tem feito através deles nas suas universidades e ter a certeza de que não estamos sozinhos na missão, foi emocionante! Deus incomodou muito meu coração nesse fim de semana, sonhos foram fortalecidos em mim a cerca do ministério com #MovimentoABU. Se envolva, vale a pena... SEMPRE, porque é para o Reino, é para Deus.”
[Kézia W. Brasil - Psicologia - ABU|Mackenzie SP]

Acampamento 2.0

AcampaABURaw67AcampaABU 2 014AcampaABU 2 015AcampaABU 2 016AcampaABU 2 018AcampaABU 2 019
AcampaABURaw46AcampaABU 2 021AcampaABU 2 022AcampaABU 2 023AcampaABU 2 024AcampaABU 2 025
AcampaABU 2 026AcampaABU 2 027AcampaABURaw47AcampaABU 2 030AcampaABU 2 031AcampaABU 2 032
AcampaABU 2 033AcampaABU 2 034AcampaABU 2 036AcampaABU 2 037AcampaABU 2 038AcampaABU 2 039
Acampamento 2.0, um álbum no Flickr.
Fotos do acampamento galera!
Aproveitem!

Acampamento 2.0 - Últimas informações

Olá abeuenses e acampantes. Apenas 1 dia para nosso II AcampABU|Mack! \o/
Segue então algumas informações:

Local: Acampamento Cabuçu - Mackenzie (perto de Guarulhos)

Ida: 06/05
Encontro 22h > Capela Mackenzie
Saída 23h > Em frente ao Auditório Ruy Barbosa [EM PONTO!]

*Se precisar, podem deixar as malas na Capelania Mackenzie.
Quem estuda a noite favor trazer as malas antes da aula para deixar na Capelania.

Volta: 08/11 - 18h


------
 
- Para aqueles que terão que ir no sábado:Há um ônibus intermunicipal que passa na rua de baixo do acampamento e deixa em São Paulo - Estação Tucuruvi :)

Estação Tucuruvi - Cabuçu - ônibus: Jardim Acácio
[Quando vc avistar um muro de pedra ao lado esquerdo já avisa o motorista, porque você descerá no próximo ponto]
Ligue para nós para que possamos ir buscar você ok?

Cabuçu - Estação Tucuruvi - ônibus: Tucuruvi
------


O que levar:
- Roupa de Cama
- Roupa de Banho
- Roupa para sujar
- Roupas para o jantar característico:
Sábado: Torre de Babel (Representar um país - Gênesis 11:1-9)
- Produtos de Higiene Pessoal
- Repelente
- Lanterna
- Dinheiro para cantina


Quaisquer dúvidas, sejam elas quais forem, estamos a disposição ok?!
Seguem alguns celulares para contato:
Kézia - (11) 81768804 TIM
Marcelo - (11) 92420596 TIM
Damáris - (11) 67056010 Oi
Lucas - (11) 73174232 Oi



Abraço.

II AcampABU|Mack - Informações

Olá ABUenses,

Então, estamos a menos de um mês para o II AcampABU|Mack \o/

Seguem abaixo algumas informações:

Se você for conosco:

- Saída do Mackenzie para o Cabuçu:
Sexta (06/maio), às 23h – R. Itambé, 135 [Capela]

- Retorno do Cabuçu para o Mackenzie:
Domingo (08/maio), às 18h – R. Itambé, 135


Se tiver que ir no Sábado:

Por favor nos envie um email avisando o horário que pretende ir, para que, quem sabe, montemos um grupo, assim você pode ter companhia para ir para lá. Ok?


Se você for de ônibus:
Sai um ônibus da estação Tucuruvi, enviaremos maiores informações sobre isso.

Se você for de carro:
Temos um mapinha, podemos enviá-lo via email, é só pedir.


Jantar Característico: Torre de Babel

Para quem não conhece a história, fica a dica: Gênesis 11:1-9 ;)
Ou seja, a ideia é cada um ir representando um país!
Hora de usar a criatividade! ;)


Por hora é isso!

Logo enviaremos mais informações!

II AcampABU|Mack - Informações

Olá ABUenses,

Então, estamos a menos de um mês para o II AcampABU|Mack \o/

Seguem abaixo algumas informações:

Se você for conosco:

- Saída do Mackenzie para o Cabuçu:
Sexta (06/maio), às 23h – R. Itambé, 135 [Capela]

- Retorno do Cabuçu para o Mackenzie:
Domingo (08/maio), às 18h – R. Itambé, 135


Se tiver que ir no Sábado:

Por favor nos envie um email avisando o horário que pretende ir, para que, quem sabe, montemos um grupo, assim você pode ter companhia para ir para lá. Ok?


Se você for de ônibus:
Sai um ônibus da estação Tucuruvi, enviaremos maiores informações sobre isso.

Se você for de carro:
Temos um mapinha, podemos enviá-lo via email, é só pedir.


Jantar Característico: Torre de Babel

Para quem não conhece a história, fica a dica: Gênesis 11:1-9 ;)
Ou seja, a ideia é cada um ir representando um país!
Hora de usar a criatividade! ;)


Por hora é isso!

Logo enviaremos mais informações!
Related Posts with Thumbnails

Recomendamos

Obs.Tetras | Tudo tão intenso | Solomon | Não morda a maçã | SexxxChurch | ABU SP | ABU Brasil | Alpiqueiro